quinta-feira, 25 de junho de 2020

HERÓIS DO ESPORTE MUNDIAL #05 - Marco Pantani

“Um dos melhores escaladores da história do ciclismo”.

Por Douglas Aleixo

Marco Pantani é o nosso herói desse artigo, considerado por muitos como um dos melhores escaladores do ciclismo mundial de todos os tempos, este Italiano de porte franzino e com sua típica bandana assombrou o mundo no ano de 1998.

Dotado de uma resistência quase mutante e como uma fábula incrível conquistou as duas provas mais intensas e difíceis de todo o universo do ciclismo.

O pirata, como era conhecido pelos fãs e imprensa italiana, realizava implacáveis perseguições e fugas de seus oponentes trajando seu típico uniforme rosa e sua bandana inconfundível (isso em uma época que não se exigia o capacete como item obrigatório).

Em 1998 ele conquistou o Giro d’Itália e o fabuloso Tour de France, rivalizando com nada mais e nada menos que o alemão Jan Ullrich, em um embate épico e divisor de águas! 


Mas infelizmente, como tudo na vida, existe momentos inglórios, Pantani viu sua trajetória vitoriosa e meteórica se esvaindo, sendo que em 1999 figurando como o favorito do Tour de France foi expulso da competição sob a alegação de doping, mais especificadamente pelo uso antidesportivo de EPO (Eritropoetina), medicação muito utilizada no meio médico para o aumento de glóbulos vermelhos, aumentando assim a potência respiratória, pulmonar e otimizando o rendimento esportivo, diga-se passagem de modo ilegal.

Mas, apesar de toda controvérsia com substancias ilegais para o esporte e lesões devido a quedas brutais, o pirata viu sua popularidade aumentar de modo astronômico, isso devido a sua agressividade, e gosto nostálgico dos fãs e entusiastas do esporte por escaladores genuínos e clássicos, sendo o único a rivalizar com o até então insuperável Lance Armstrong, e inclusive o vencendo.

Pantani internou-se em uma clínica no norte da Itália em junho de 2003, acometido por uma depressão profunda, onde as esperanças de vê-lo novamente nas grandes competições se extinguiram!

Diante de várias controvérsias e histórias conspiratórias envolvendo a máfia camorra, o herói sucumbiu e morreu subitamente em um hotel de Rimini, no litoral Adriático em 14 de fevereiro de 2004, precocemente aos 34 anos de idade, e sua autópsia evidenciou que sua morte foi em virtude de uma parada cardíaca provocada por suposta overdose de cocaína, fato contestado pela família, amigos e fãs.

O pirata se foi, mas deixou um legado e reputação ilibada, sintetizada no talento, garra, dedicação e amor incondicional ao ciclismo!

Douglas da Silva Aleixo, Advogado, Licenciado em

Filosofia e entusiasta do esporte. Colaborador do Jornal PODIUM


Nenhum comentário:

Postar um comentário