segunda-feira, 1 de junho de 2020

Vitor, Gambá, conta sua história

Nome: Vitor José Batista
Apelido: Gambá
Idade: 52 anos
Esporte: Futsal e Futebol de Campo

            Desde pequeno, sempre acompanhou o esporte na cidade de Varginha. Com o tempo, Batista foi se apaixonando pela modalidade. Começou a praticar com 14 anos, ao convite de seu grande amigo José Roberto Galdino, ou Tibicha, para jogar no seu time MEC, do bairro de Fátima. Em sua carreira, passou também por outros times como o Internacional, onde ficou sete anos, Santiago de Besul, Corcetti, AABB e Santa Cruz.

Logo no ano em que começou, teve sua primeira experiência como campeão de um campeonato, e destaque também. Depois, convocado para a seleção de futsal de Varginha em 1986, foi campeão do JIMI. Após ser convidado para a outra equipe do bairro, o Inter, ajudou a garantir a Taça Municipal de 1992 e, no mesmo ano, foi campeão da Taça EPTV de Futsal.

Além disso, disputou os campeonatos Mineiro e Copa do Automóvel, em São Bernardo do Campo/SP; foi bicampeão 92/93 do torneio regional Abertura de Futsal; campeão Regional pela seleção de Varginha em Conceição Aparecida; bicampeão pela Takenaka Varginha e da Taça Municipal de Varginha AABB de Futsal; em 95, campeão Copa Varginha para Todos e Taça Municipal; em Santa Cruz, campeão de 1996-2003 da Taça Municipal e Corcetti Futsal; em 2000, das Olimpíadas de Campanha; campeão de areia de 2000 a 2002; além de campeonatos como Copa Alterosa de Futsal, 3º e 4º lugar. Tudo isso fora os jogos contra Atlético PAX Minas, Seleção da Austrália e Rosário Central-ARG.

Entre minhas maiores dificuldades, destaco conciliar os treinos e jogos da seleção de futsal de Varginha com o trabalho. Muitas vezes saía do trabalho para ir direto à viagem de jogos em outras cidades. Voltávamos de madrugada e eu já ia trabalhar no dia seguinte. Foi muito difícil, mas aprendi muito nesse tempo, e graças a isso tive oportunidade de fazer várias amizades que tenho até hoje. Só tenho a agradecer ao esporte por me proporcionar isso e saúde!”, afirma.

Atualmente, pratica na AABB Society e Futsal Santa Cruz. Agora mais experiente, tenta passar aos jovens um pouco do que aprendeu. “Sempre tive vontade de praticar. Hoje o esporte significa tudo para mim, faz parte da minha vida e do meu dia a dia”.

Seu esforço se dá por inspiração em seus treinadores, José Roberto Galdino, Targino Valias, Adalmir Imbrisi, Orlando Rosa e Evadson Rosa. Gambá pretende continuar praticando esporte e espera poder ajudar alguém no futuro, no esporte.

Agradeço ao meu amigo Tibicha, que foi a primeira pessoa que acreditou no meu futebol. Quero agradecer algumas pessoas que esqueci de mencionar, mas que fizeram parte da minha trajetória no futsal e na minha vida. E minha família acima de tudo, meu filho e minha esposa.”

Texto: Maria Júlia Veloso


Diego Martins Vicente conta sua história

Nome: Diego Martins Vicente
Idade: 11 anos
Esporte: Judô e jiu-jitsu

Começou a praticar logo que completou 5 anos, pois seu primo, Lucas Vicente, que também é judoca, uma vez o levou em uma academia e já naquele dia já começou a treinar, porque se apaixonou por vestir um Kimono de primeira.

Depois, treinou no projeto social Raízes da Vila, no conselho comunitário da Vila Barcelona, com seu primo, e logo começou a competir. A partir disso, também começou a treinar no CRES Varginha, com o sensei Lucas Corrêa e sensei o Rodrigo Marcondes.

No começo, o esporte significou amizade e respeito para mim, uma forma de interagir com outras crianças fazendo o que gosto. Hoje, minha visão já mudou um pouco, tenho objetivos de conquistas e treinar muito”, conta o pequeno rapaz.

Sua primeira competição foi aos 6 anos. Ela aconteceu em Varginha, o Circuito Sul Mineiro de Judô. Conta que ficou muito feliz, porque ganhou todas as lutas. O pai de Diego, Maurinei Vitor Vicente, explica que as competições oficiais pela Federação acontecem a partir do sub 11. Aos 09 anos, Diego foi Campeão Mineiro e Campeão do Dangai, um campeonato por faixa, ganhando seu primeiro título. Em sua categoria atual, sub 13, foi vice do Dangai e terceiro no Mineiro do ano passado.

Sua rotina costumava ser de treinos de segunda a sexta, com preparação física, acompanhamento nutricional e treinos de jiu-jitsu e judô. “Para mim, é normal essa rotina, porque tem os horários certinhos, sobra tempo para estudar e brincar”, explica.

Neste ano, houve apenas uma competição oficial da Federação, que é o Torneio Início, realizado em BH, valendo ao vencedor a classificação para o Brasileiro Regional de Judô. O garoto conquistou a disputada vaga para a Nacional, que aconteceria em abril, mas foi adiada devido ao atual contexto mundial.

Agora, os principais objetivos do jovem atleta são disputar o Brasileiro de Judô e o Europeu Kids de Jiu-jitsu. Para isso, continua ativo nos treinos. “Nesta quarentena, estamos fazendo treinos de jiu-jitsu individual, preparação física na academia e em casa fico fazendo golpes repetitivos de judô”, conta Diego.

Gostaria de agradecer meus professores, meus senseis, minha nutricionista, amigos e meus colegas de treino. E minha família, que tenho muito orgulho de ter sempre me apoiando.”
Texto: Maria Júlia Veloso


terça-feira, 19 de maio de 2020

Vitória Eduarda conta sua história

Nome: Vitória Eduarda Santos Rosa
Idade: 17 anos
Esporte: Futsal e futebol

O que te faz apaixonado por esse esporte?
- Desde que comecei a jogar me identifiquei muito, consigo me expressar através dele.

O que a levou a começar a praticar? Quantos anos tinha?
- Amigos e irmãos. Comecei a jogar com eles aos treze anos e me identifiquei com o esporte desde então. Parei um tempo de jogar, faz um ano que voltei.

Atualmente onde treina?
- No Real Madrid.

O que o esporte significou no começo?
- Paixão.

Fale um pouco sobre competições que marcaram muito sua trajetória.
- Sempre joguei campeonato, mas nunca tive sorte. Agora, nós estamos trabalhando muito com o treinador Marquinho no Real Madrid, focando em campeonatos e poder ganhar título para o Real Madrid.

Fale sobre conquistas:
- Joguei com o Real Madrid no bairro Bom Pastor em Varginha, que infelizmente não ganhamos, mas me marcou porque conseguimos chegar na semifinal e, com o aprendizado, conseguimos identificar onde a gente está com habilidade e onde precisamos melhorar.

Qual é ou foi sua rotina de treinamento?
- São aos sábados à tarde, a gente começa alongando, fazemos treinamento físico e depois vamos para o coletivo. A parte mais difícil para mim é que o futebol feminino ainda está um pouco escondido, então temos que se destacar para que seja reconhecida e conseguir oportunidades.

Qual a sua maior alegria?
- No futsal em dias de treinos é a melhora do meu futebol, e em dias de campeonato é me desempenhar junto com o time para que chegamos a final vencedores.

Quais decepções ou frustrações enfrentou pelo esporte?
- Como falei, o futebol feminino ainda está um pouco escondido e minha esperança é que isso possa um dia mudar.

Como estão seus planos para o futuro?
- Eu não pretendo ser uma jogadora de futebol, mas quero levar minhas experiências para a vida.

Gostaria de fazer agradecimento? De qual forma essa pessoa te ajudou?
- Agradecimento para o meu treinador Marquinho, do time Real Madrid, que me ajudou a voltou a jogar futsal um esporte que gosto muito.

Quais aprendizados e ensinamentos o esporte trouxe para você?
- Com esse esporte consegui ter a certeza de que o futebol feminino ainda pode ser identificado.

LINK

Diego Rodrigues conta sua história

Nome: Diego Rodrigues
Apelido: Diemito
Idade: 22 anos
Esporte: Futsal

O que te faz apaixonado por esse esporte?
- Está no sangue de todo brasileiro ser apaixonado por futebol, a emoção junto com a competitividade do esporte é realmente apaixonante.

O que o levou a começar a praticar? Quantos anos tinha?
- Lembro de quando era muito novo, acho que uns 6 anos, estava vendo meu irmão jogar com os amigos dele. Ali foi amor à primeira vista.

Depois como seguiu sua história?
- Comecei minha trajetória com o professor Aldo, alguém que tenho uma gratidão gigantesca, além de formar atletas, formava cidadãos de bem. Logo depois, resolvi seguir somente no futsal, junto ao professor Juliano, uma pessoa que exige de você passar dos seus limites. Foi muito bom trabalhar com ele durante esses 5 anos.

Atualmente ainda pratica? Onde?
- Eu sempre brinco com minha mãe que vou jogar até os 50 anos. Treino nas quadras do Caic e na quadra da Vila Bueno.

O que o esporte significou no começo?
- O esporte no começo deu um rumo totalmente diferente e prazeroso na minha vida.

E o que significa hoje para você?
- A importância do esporte na minha vida é algo especial, e espero que dure por muito tempo ainda.

Fale um pouco sobre competições que marcaram muito sua trajetória:
- Tive o privilégio de jogar boas competições como Jojuninho em Formiga (2013); Encontro Brasileiro de Futsal em Cambuquira (2013); LIDARP em várias cidades de MG (2014);  LIDAE (2014), JIMI (2015), Taça Alterosa (2016), Taça EPTV (2017), Taça Varginha (2018) e Intermunicipal (2019).

Fale sobre conquistas que marcaram sua trajetória:
- Jogos Escolares em 2015 e o Intermunicipal de 2018.

Qual é ou foi sua rotina de treinamento?
- Estou trabalhando só a parte física pelo momento em que estamos vivendo.

Qual parte mais difícil dela?
- Sempre olhei o esporte pelo lado positivo, para mim sempre será uma diversão e não existe dificuldade nas diversões, não é?

Qual a sua maior alegria?
- Conquistar títulos ao lado dos meus amigos do Divino FC, algo que acontece todo ano.

Quais decepções ou frustrações enfrentou pelo esporte?
- Assim como a maioria dos atletas amadores, a maior frustração é não me tornar um profissional.

Seu esforço se dá por inspiração em alguém?
- Em tudo que eu faço a minha maior inspiração é minha mãe.

Como estão seus planos para o futuro?
- Os planos do futuro é seguir competindo em alto nível.

Gostaria de fazer agradecimento?
- Gostaria de agradecer primeiramente a Deus, por estar comigo esse tempo todo, minha mãe, meu irmão e professores, Aldo, Juliano, Josué, Victor e Filipe (Toró).

Quais aprendizados e ensinamentos o esporte trouxe para você?
- O esporte me ensinou a ser uma pessoa melhor e aumentou meu companheirismo.

Observações que gostaria de acrescentar:
- Gostaria de dizer pra todos meus amigos do Divino FC que é uma honra ganhar ao lado deles e queria ressaltar que a maior força da nossa equipe é a amizade que existe entre nós. E queria dizer aos rivais que esse ano vai ser mais difícil ainda nos vencer.

LINK

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Prefeitura oferece aulas de exercícios físicos pela internet


           A Prefeitura de Varginha segue firme na luta e no combate à COVID-19. A partir de agora, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer – SEMEL - também se adapta às novas tendências neste momento de distanciamento e isolamento Social.
            Em reunião, na manhã desta quinta-feira, 14, na sede da SEMEL com a presença do prefeito Vérdi Melo, ficou definido que as aulas de Ginástica, Dança, Alongamento, Localizada serão realizadas on-line, pois não é viável atender os alunos de maneira presencial neste momento. De acordo com o professor Flávio Henrique Pontes, “ficar em casa ainda é a melhor maneira de prevenção, por isso, vamos desenvolver uma plataforma de aulas no YouTube para que todos tenham acesso e possam realizar as atividades em casa”.
            Além das aulas já conhecidas de Alongamento e Flexibilidade, Ginástica Aeróbica e Localizada, Dança, Zumba e Fit Dance, também haverá atividades com materiais alternativos como elásticos, gomas, garrafinhas pet, saquinhos de 1kg, 2kg e 5kg, tapetes e colchonetes. Tudo para atender da melhor maneira possível a população de Varginha neste momento de pandemia.
            “A atividade física é extremamente importante nesse momento, assim como o distanciamento social juntamente com o uso de máscaras e a assepsia das mãos, ou seja, se você quer se cuidar da saúde se exercitando não se esqueça que esse cuidado também depende da prevenção coronavírus”, ressalta Flávio.
            Além de montar essa nova plataforma no YouTube, os professores ainda vão dar aulas on-line nos canais pessoais (Facebook e/ou Instagram) e serão divulgados nos meios de comunicação da Prefeitura. O professor Flávio já disponibilizou aulas no facebook e no instagram.
            “Essa é mais uma medida que a Prefeitura de Varginha adota para minimizar os reflexos desse isolamento social; portanto, deixo aqui o convite para todas as pessoas visitarem o facebook dos professores da SEMEL ou o instagram para não ficarem sedentárias e consequentemente isso ajudará também o psicológico de cada um”, convida o prefeito de Varginha, Vérdi Melo. Ele ainda adianta que a SEMEL também vai oferecer on-line palestras sobre vários temas ligados à saúde.

LINK

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Prefeito Vérdi Melo visita instalações da Semel e conversa com técnicos desportivos

                   O Prefeito Vérdi Melo esteve nesta quinta-feira, 20, na sede da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer a convite do secretário de esportes André do Vôlei, que mostrou as melhorias já realizadas na Semel,  bem como as que estão por vir, dentre elas a conclusão do ginásio que será utilizado para a prática de artes marciais, cuja licitação já encontra-se em andamento.
“O que vimos foi um canteiro de obras sendo realizadas, melhorias que certamente vão agregar valor àquele importante instrumento público, um celeiro de atletas que já revelou grandes talentos em várias modalidades desportivas”, disse Vérdi. 
Na oportunidade o prefeito Vérdi Melo também conversou com os técnicos desportivos da Semel, quando falou um pouco do momento que o município atravessa em decorrência do Covid-19, que acabou por interferir nas atividades da Semel. “Vivemos um momento único, um momento de tensão, mas não podemos desanimar. Precisamos agir com sabedoria, criatividade, e é isso que pedimos a todos vocês. Hoje iniciamos com as aulas não presenciais, online, e podemos trabalhar assim na Semel, mesmo porque temos um público nos aguardando”, disse Vérdi que agradeceu o empenho e dedicação de todos. “Temos fé que vamos atravessar esta pandemia e que voltaremos às nossas atividades cotidianas”.

LINK

Melissa Araújo conta sua história

Nome: Melissa Araújo Teixeira Cruz
Idade: 22 anos
Esporte: Handebol

            Começou a praticar handebol na escola Gabriel Penha de Paiva como a prima, Jamyll, acompanhando-a nos treinos, onde teve o prazer de conhecer o treinador Patrick Ribeiro, que a acolheu e fez se apaixonar pelo esporte aos 11 anos.

Sua estreia em competições foi em 2009, nos Jogos Escolares, onde conseguiram abrir uma vantagem e ser campeãs do Módulo I. “A sensação foi indescritível, tivemos muito empenho até chegarmos a final. Apesar da adrenalina da primeira competição, consegui dar o meu melhor para ajudar a equipe. Com esse título, classificamos pela primeira vez nossa escola para representar Varginha na microrregional, e chegamos até a fase estadual, saindo como a segunda melhor equipe de Minas Gerais. No mesmo ano, com a ajuda da nossa conquista, nossa escola foi considerada a melhor estadual de Varginha, tudo isso foi um grande incentivo para que eu continuasse no handebol”, conta.

Tudo mudou graças aos bons resultados, e Mel passou a treinar na Semel com Anderson Massahud, representando a cidade em competições como Jojuninho, Cadete, Lidarp e outras. “Tudo era maravilhoso e senti naquele momento que queria ser jogadora de handebol. Minha prima já estava morando fora e jogando no clube Metodista, foi quando eu fiz meu primeiro teste, com 14 anos. Passei, mas minha mãe achava que eu era muito nova e não me deixou ficar. Voltei para Varginha, continuei treinando e participando das competições”, disse Melissa.

Quando tinha 16, jogando Joju sub 17, fez novamente o teste no time Metodista, com o mesmo resultado. “Mas optei em jogar o campeonato para Varginha. Voltei para a cidade e disse exatamente essas palavras para o meu técnico: ‘vou ficar aqui e seremos campeãs do Joju’. E a equipe foi maravilhosa, jogamos juntas e vencemos juntas. Foi o maior orgulho da minha carreira. Depois, continuei participando das competições, mas chegou um momento onde eu tive que escolher entre estudar e jogar, e o handebol ficou como segunda opção. Hoje, continuo a jogar e representar Varginha e sou professora”, conta. Atualmente, Mel trabalha no período da tarde no Ensino Fundamental em um colégio particular em Varginha, e tenta conciliar os treinos e as competições com a nova rotina.

Sempre ligada ao esporte, muito presente na família, no começo considerava apenas uma diversão. “Com o tempo, você aprende a respeitar ao próximo, a ter limites, a trabalhar em equipe, a dar valor nas pequenas coisas. Aprende na vitória e na derrota, e tudo isso contribui para a formação do caráter. O esporte salva vidas e, junto com a educação, pode transformar o mundo”, afirma Melissa. 
LINK

A parte mais difícil da rotina eram os treinamentos na quadra descoberta. Como os treinos eram no período da tarde, o sol era muito intenso, atrapalhava bastante. Hoje em dia a dia, a dificuldade é conciliar os horários dos treinos com o trabalho.” Durante a quarenta, sua rotina de treinos está sendo em casa, com o auxílio dos meninos da academia WE FIT Centro de Treinamentos. Os exercícios são específicos, disponibilizados através de um aplicativo.

Como Professora, Mel acredita que pode contribuir para um mundo melhor, pois é através da educação que transformamos pessoas, e como atleta, quer continuar treinando competindo por Varginha. “Minha maior alegria é fazer parte desta equipe, é olhar para trás e ver uma história linda que o Handebol Varginha construiu, é ser grata pelas amizades, pelo meu técnico, por todo aprendizado.”

Gostaria de agradecer ao Patrick Ribeiro, meu primeiro técnico, ao Juliano de Lima e ao Anderson Massahud pela amizade, ensinamentos, dedicação, e por toda a história que construímos. Agradeço por terem contribuído para minha formação. Agradeço também a minha equipe, pois juntas somos mais fortes. Agradeço ao meu namorado e a minha família pelo apoio e torcida”.

Texto: Maria Júlia Veloso

Kauã "Laranja" conta sua história


Nome: Kauã Pablo dos Santos Marcelino
Apelido: Laranja
Idade: 14 anos
Esporte: Futebol

O que te faz apaixonado por esse esporte?
- A tranquilidade e a paz.

O que o levou a começar a praticar? Quantos anos tinha?
- Meu irmão, quando eu tinha 9 anos.

Depois como seguiu sua história?
- Eu só jogava na rua, até que um dia me chamaram para jogar em um time chamado Besiktas. Foi então que fui ficando bom e entrei no Real Madrid, que é o meu lugar de verdade.

Atualmente onde pratica?
- Sim, na Escola Estadual Professora Selma Bastos.

O que o esporte significou no começo?
- Significou só um esporte normal, até que comecei a jogar bem.

E o que significa hoje para você?
- Uma nova vida.
 
LINK
Fale um pouco sobre competições que marcaram muito sua trajetória.
- Meu primeiro campeonato foi em janeiro desse ano, no Torneio de Verão, em que ficamos em terceiro lugar. Ganhando medalha e um certificado de participação.

Qual é sua rotina de treinamento?
- Segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

Qual a sua maior alegria?
- Jogar com os amigos.

Como estão seus planos para o futuro?
- Ser um bom jogador para honrar minha família.

Quais aprendizados e ensinamentos o esporte trouxe para você?
- Respeito e saber perde também.

Gostaria de fazer agradecimentos?
- Meus amigos Luiz e Phillipe, que me ajudaram a entrar no mundo do esporte, me inspiro neles. E ao meu treinador, Vinicius Zidane.

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Diogo Augusto conta sua história

Nome: Diogo Augusto Silva
Idade: 27 anos
Esporte: Futebol

Compartilhando a trajetória e experiências, o atleta Diogo Augusto Silva fala um pouco sobre sua paixão pelo futebol, que vem crescendo desde criança com seus pais, amantes do esporte.

Começou na quadra do bairro, a famosa Quadra da Lajinha, aos 7 anos. Logo no ano seguinte, foi para a escolinha de futebol de Coqueiral, onde seguiu por muitos anos e ganhou títulos regionais, graças ao trabalho de treinadores como Nicinho, Marcinho e Marquinho. “Foi onde aprendi muito. Ali, além de aprender tudo sobre o futebol, também aprendi muito sobre como me tornar um homem do bem, com ideais e caráter”.

Em 2007, foi para Belo Horizonte jogar pelo time do Real Minas, time do ex-jogador Kal Baiano. Foi avaliado lá pelas três grandes equipes da cidade, Atlético, América e Cruzeiro, e em todas elas teve aprovação. Contudo, no final de 2008 voltou para Coqueiral e, por algumas frustrações, não queria mais jogar futebol por um tempo.

No ano seguinte, passou pelo União São João, em Araras, no onde disputou o Paulista. Em 2010, foi para o Cuiabá, de Mato Grosso. “Só tenho a agradecer ao meu grande amigo, Alex Mineiro, quem me levou e me deu todo suporte. Infelizmente, mais uma vez eu decidi voltar para Coqueiral”. Já com 17 anos, começou a jogar no time amador da cidade com Adílson, ou Porvinha, no Coqueiral Futebol Clube. “Um profissionalismo sem tamanho, aprendi muito com ele!”

Em 2012, fez uma passagem rápida por Teófilo Otoni jogando profissionalmente, e depois ficou anos parado, frustrado, até que decidiu voltar a jogar com incentivo da família e amigos.

“Não foi o que eu esperava. Acontece muito isso no mundo do futebol, te falam maravilhas, mas não é nada fácil. Às vezes te enganam e acabam fazendo você achar que aquele sonho é apenas sonho mesmo. Mas eu fui fraco e desisti muito cedo, faltou eu ser forte, lutar mais pelo que eu queria. Hoje, um pouco mais experiente, tenho essa frustração.

O mundo do futebol é um negócio sujo na grande maioria, claro que existe profissionais exemplares, mas muitos infelizmente só querem lucrar com os sonhos dos jovens. Hoje sou treinador de base na escolinha em Coqueiral e passo isso para meus alunos, para que não se iludam por conversas e pesquisem bem antes de fazer qualquer tipo de coisa, no futebol e na vida, e ser forte sem desistir. Acreditando que vai chegar lá, você chega”.

Hoje, disputa campeonatos amadores regionais e municipais. “Meu maior orgulho é poder voltar aos lugares por onde passei e ser reconhecido, lembrado e bem recebido por todos. Minha maior alegria é minha família, principalmente meus pais, que batalharam diariamente toda a minha vida para fazer de mim e meus irmão homens de bem. São tudo para mim, tento da melhor forma possível seguir o que aprendi com eles. Agradeço aos meu pais e meus professores, Nicinho, Marcinho, Marquinho e Porvinha, e  amigos, por me fazer tornar a pessoa que sou hoje, muito além do que só futebol. Tiraram o melhor de mim e me prepararam para o mundo.”

Texto: Maria Júlia Veloso

LINK

terça-feira, 12 de maio de 2020

Ação social do Futsal Feminino de Varginha

            Devido a pandemia da COVID-19, estamos vivendo um cenário bastante crítico. Há muitas famílias passando por necessidades e por isso, o FUTSAL FEMININO VARGINHA decidiu se unir e ajudar essas pessoas fazendo uma ação do bem!
A ação conta com doação de alimentos, produtos básicos de higiene, leite e fraldas para crianças.
Para isso precisamos da ajuda da população para arrecadar esses itens. As vezes o pouco para nós, pode ser muito para outros!!
            Contamos com a ajuda de vocês e quem quiser ajudar, entrar em contato em um desses telefones:
35 99954.6049 - Isabela
35 99890.4324 - João Pedro

            EM BREVE ESTAREMOS DIVULGANDO OS PONTOS DE COLETA!

LINK

Lives Time Brasil em casa

             Treino na quarentena, curiosidades e uma boa conversa no Instagram do Time Brasil. O primeiro encontro desta semana é na quarta e terá Duda Lisboa e a Dra Tathiana Parmegianno. A atleta de vôlei de praia tem 21 anos e muitas conquistas no currículo. Um dos destaques foi a medalha de ouro no Circuito Mundial de 2018 ao lado de sua dupla Ágata. No dia seguinte, na quinta, Camila Gomes, da ginástica de trampolim, fala sobre sua rotina e responde perguntas dos seguidores. Ela e sua dupla Alice Gomes ficaram em quarto lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim. Na sexta, Alison dos Santos, ouro nos 400 metros com barreira em Lima 2019, troca experiências com o paratleta Petrúcio Ferreira, medalha de ouro nos 100 metro T47 na nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e recordista mundial. Confira a programação:

  • Quarta-feira, dia 13/05/2020 às 19h – Duda Lisboa, do vôlei de praia, conversa com a Dra. Tathiana Parmegianno, ginecologista esportiva.
  • Quinta –feira, dia 14/05/2020, às 17h – Camila Gomes, da ginástica de trampolim.
  • Sexta-feira, 15/05/2020, às 18h – Alison dos Santos, do atletismo, bate papo com Petrúcio Ferreira, do atletismo paraolímpico.
LINK

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Endrigo da Silva Carli conta sua história

Nome: Endrigo da Silva Carli
Idade: 38 anos
Esporte: Futebol

O futebol é capaz de provocar sentimentos muitas vezes inexplicáveis, não é o esporte mais popular do mundo à toa. A princípio o amor pelo futebol pode parecer estranho e sem sentido, mas a partir do momento em que você começa a jogar ou se apaixona por um time, esse sentimento se torna tão sensacional e arrebatador a ponto de não conseguir explicar com palavras, apenas sentir.”
No bairro onde cresceu, Vila Barcelona, se respira futebol, e foi lá que com apenas 6 anos começou a jogar na quadra da Pedreira, na escolinha da Claudia, por incentivo de seu irmão. Assim que mudou para o bairro São Francisco, passou a treinar com o Geraldo e o Neguinho no campinho de terra próximo ao Melão, onde jogaram alguns campeonatos com o time do Espartas.
Um gol que ficou gravado em sua memória o fez no campo da Vila. “Lembro que arranquei do meio de campo, driblei o goleiro e marquei o gol. Só que, ao sair para comemorar, fui de encontro com o muro e acabei saindo do jogo direto para o hospital com um dos braços fraturados”, conta Endrigo. Foi lá que teve a oportunidade de conhecer o Paulinho Gabriel, que o convidou para jogar no Botafogo. 
Participou de campeonatos em diversas cidades, entre os principais estão o campeonato Sul Mineiro de Júnior e a Taça BH. Naqueles realizados na cidade de Varginha, teve o prazer de atuar em muitas equipes e ser campeão em algumas. Seu primeiro título foi no ano de 1988, na quadra do Lentini.
No começo, tinha o futebol como uma brincadeira, um momento de lazer para encontrar os amigos. “Com o passar do tempo me tornei muito competitivo, daqueles que não gostam de perder mesmo. Mas essa competitividade fica apenas dentro de campo. Ele me presenteou com grandes amizades, conheci pessoas incríveis, mas também me decepcionei com algumas. Aprendi muito com os mais experientes, e hoje tento passar um pouco do que aprendi nesses trinta e dois anos de futebol para os que estão começando”, afirma o atleta.
Nesse tempo tão difícil de pandemia, não abandonou os treinamentos, faz agora seus exercícios em casa na ótima companhia do meu filho, hoje com 5 anos. “Ele também gosta muito de praticar esportes e eu faço tudo que posso para incentivar, mostrando a ele todos os benefícios da prática de esporte, seja ele qual for.”
Gostaria de agradecer ao Jornal PODIUM por essa oportunidade de contar um pouco da minha história, e quero aproveitar também para agradecer aos professores, Fabiano da Fertipar, Geraldo, Neguinho e Paulinho Gabriel, por todos os ensinamentos. Aos bairros Barcelona e São Francisco, por me apresentarem o futebol e tantos amigos queridos. E gostaria de agradecer em especial ao meu irmão, Enderson, que foi meu primeiro incentivador.

LINK

Semel retoma atividades de atletismo no Melão

               Segundo Decreto Municipal nº 9.779-2020. Art. 1º - Parágrafo 3:
“Aos clubes cujo funcionamento se restringirem à utilização de academia interna e atividades ao ar livre (caminhadas, corridas, ciclismo, etc.), devem obedecer aos critérios de distanciamento preconizados em estudos científicos (caminhada com 4 à 5 metros de distanciamento, corrida com dez  e pedaladas vinte metros), sendo proibida  a utilização de piscinas, saunas e vestiários, vendando-se, também, competições e torneio.”
De acordo com o este parágrafo citado no decreto, estão sendo retomadas as atividades de Atletismo da SEMEL em Varginha, no Melão, situado na Avenida Ruth Carvalho, bairro Jardim Sion. A Secretaria de Esportes afirma, através do comunicado publicado pelo professor responsável pelo Atletismo da Semel, Alexis Rodrigues, nesta segunda (11/05), que está adequando-se à todas as normas solicitadas pela vigilância sanitária nas medidas de prevenção contra o Covid-19 em suas aulas e atividades. 
LINK
As turmas de atletismo da SEMEL foram subdivididas em quatro, de no máximo 8 alunos, com duração de 40min por a aula, sendo uma aula no período da manhã, às 9h, e mais três no período da tarde, 13h30, 14h30 e 15h30.
Vale ressaltar que o Melão, através da SEMEL, estará à disposição de todas as equipes de corridas da cidade com interesse na utilização do espaço, e que essas deveram obedecer à algumas medidas de proteção contra o Covid-19, como: utilização de máscaras, distanciamento entre atletas e utilização frequente de álcool em gel (antes e após o treino).
Para isso, as equipes deverão fazer contato com o professor Alexis, se atentando aos horários e evitando aglomerações dentro do espaço aberto da pista de corrida do Melão, que contem 400m ao ar livre.
“Estamos à disposição para solucionarmos qualquer dúvida sobre a prática esportiva dentro do Estádio Municipal do Melão.”, afirma o professor Alexis.