quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Impactos da pandemia com Fabiano Leal

 

Fabiano Leal, da equipe Fertipar Futebol Clube conta como está sendo para o grupo o período de isolamento

            Em diversos aspectos, durante o último ano as rotinas e hábitos mundiais tomaram rumos completamente diferentes do esperado, e no esporte isso não é diferente. Fabiano Leal, dirigente da equipe de futebol Fertipar explica que pôde observar a partir de sua equipe três grupos distintos no que se trata de postura aos treinos durante a quarentena.

            “Entre eles, há os que não pararam nunca, continuam treinando e mantendo uma rotina ativa e regular. De outro lado, alguns que fazem aquela “caminhadinha”, “corridinha” de vez em quando, e ainda aqueles que pararam junto com a pandemia, totalmente.” Quando tudo voltar ao normal, o professor explica, a diferença será muito notada a partir da resistência e preparação física deles.

            “Para nós, a grande diferença era que logo que o final de semana chegava, já estava em nossa cabeça que seria sobre campo, campo e campo. Agora, tivemos que mudar, nos adaptar a outros planos.” No seu caso, ir para a sua roça tem feito esse papel substituto nos finais de semana, mas sente muita falta da antiga rotina.

            “Realmente não estou mexendo com nada de futebol. A equipe está parada mesmo. Sem treinos, sem jogos, nada. Paramos juntamente com a pandemia”, enfatiza.

            Por ser um time-empresa, na questão de patrocínio não tiveram tantos problemas. Contam ainda com duas empresas parceiras, veio os ajudando nos inícios dos campeonatos, a Tractor Maq (Gilmar) e Usinagem PJ (Osvaldo).

            Fabiano conta que a comunicação com os atletas é restrita pelo aplicativo WhatsApp. O professor afirma que regularmente coloca e troca como capa a foto de um dos atletas, como forma de homenagem e incentivo. O treinador espera que logo voltem aos treinos da forma mais segura possível.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Impactos da pandemia com Neilor Braz

  

O atleta Neilor Braz conta sua experiência na pandemia: “Para mim está sendo bem difícil ficar sem poder jogar ou treinar. Estou com 21 anos, não podendo jogar nem treinar por conta dessa pandemia, nem mesmo um campeonato amador.”

            “A minha expectativa agora é de que voltem os campeonatos, para ex-atletas que já foram ou que sempre sonharam em ser profissionais, poder voltar a fazer o que amam. Os chamados amantes do futebol de Varginha, porque o esporte é saúde.”

            Neilor conta que no momento está apenas brincando em quadras, mas que mantém contato pelo grupo de WhatsApp à espera do retorno dos campeonatos.

 

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Impactos da Pandemia – Projeto Impulso no CAIC II – Por Milton Junior

 

O projeto “Impulso: Esporte e Educação”, idealizado pelo professor Milton Tavares Júnior, nasceu em 2017 com a finalidade de atender alunos do Caic II - Escola Municipal Professora Helena Reis, com atividades esportivas e culturais no período extra turno.

            Em 2020, devido à pandemia, as atividades aconteceram de forma totalmente remotas.

            “Montamos um grupo de Whatsapp com os pais e enviei duas atividades por semana para os alunos”, conta o professor.

            No final do ano, foi feita uma formatura com entrega de certificado e medalhas para os alunos.

            “De forma singela”, afirma. “Em 2021 vamos seguir da mesma forma até que tudo se restabeleça.”


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Impactos da pandemia no Judô com Lucas Corrêa Reis

 

O ano de 2020 parecia promissor. Iniciamos com nossas atividades a todo vapor visando a primeira competição do calendário da Federação Mineira, o Torneio Início, classificatório para o Campeonato Brasileiro Regional. Retornamos com 18 medalhas: 6 ouros, 5 pratas e 7 bronzes, 3° colocado no quadro geral e 14 classificados para o Regional que estava previsto para 25 e 26/04.

            Com o crescimento dos casos de covid-19, os eventos presenciais foram cancelados. Ficamos por um período sem saber o que fazer, aguardando o pronunciamento das autoridades. Férias antecipadas nos foram impostas, e só retornamos em Junho com atividades remotas. Reinventamo-nos com treinamento à distância. A princípio, passado as atividades para realizarem em casa através de gravações de atletas reportadas aos técnicos.

            Posteriormente as atividades foram realizadas ao vivo pelas plataformas digitais com a participação de ambos em dias e horários previstos. Após a vigilância sanitária estipular os protocolos para atividades presenciais, começamos a trabalhar diariamente com o judô funcional, que engloba treinamento técnico, tático e físico, mantendo o distanciamento e as medidas de segurança. Seguimos este treinamento até os dias de hoje.

            Após o retorno das férias antecipadas, ficou acertado que metade do expediente seria cumprido em home office. Foi então que me surgiu a ideia de produzir conteúdo digital, inicialmente com bate papo entre ex-atletas, atletas e pais de atletas, contando sua trajetória. Logo em seguida abri um canal nas redes sociais, onde diariamente postava um vídeo, demonstrando técnicas e suas variações, judô kids e judô funcional.

            Hoje o canal tem mais de 150 vídeos e circula nos principais grupos de redes sociais da modalidade, com repercussão internacional. Creio que o trabalho digital é o caminho mais rápido para alcançar as pessoas e contribuir de alguma forma com alunos, atletas e profissionais.


 

Anderson Massahud lança livro sobre Reabilitação e Treinamento Físico para indivíduos em hemodiálise

 

O Técnico Desportivo da Semel, Anderson Massahud, lançou recentemente o livro “Reabilitação e Treinamento Físico para Indivíduos em Hemodiálise”. Além do professor Anderson, os professores Sérgio Barbosa e Henrique Touguinha assinam a organização da obra. O livro traz um seleto grupo de pesquisadores de diversas áreas da saúde, com anos de estudos e práticas em Doença Renal.

            O professor Anderson afirma que os pacientes em tratamento de hemodiálise enfrentam, na maioria das vezes, limitações na vida diária. Isso favorece o sedentarismo e, consequentemente, compromete a qualidade de vida. Em contrapartida, a realização regular de exercícios físicos demonstra ser uma importante ferramenta no processo de reabilitação e de saúde para esses pacientes.

            De acordo com o professor, a ideia de escrever e lançar a publicação surgiu da necessidade de orientar os profissionais da área da saúde sobre os benefícios do treinamento físico para esses pacientes. “O livro é uma temática que não existia no Brasil, específico sobre um tipo de intervenção que está crescendo muito. Acreditamos que profissionais e estudantes poderão se interessar e se sentir respaldados em incentivar indivíduos em tratamento de Hemodiálise a iniciar práticas regulares de exercícios físicos.”

            ANDERSON MASSAHUD é funcionário efetivo da Prefeitura Municipal de Varginha desde 2006 na função de Técnico Desportivo, coordenando a modalidade Handebol Feminino onde conquistou vários títulos em nível regional e estadual. Atuou como estatístico em Campeonato Mundial 2011 e Olimpíadas 2016 além de assistente técnico da Seleção Mineira de Handebol Feminino. Além da Semel, ele é professor da Universidade Vale do Rio Verde (UninCor) com diversas especializações: (a) Fisiologia do exercício, (b) Cinesiologia e Biomecânica, (c) Treinamento Esportivo, (d) Nutrição Esportiva, (e) Atividades para pessoas com deficiência, (g) Acupuntura,  mestrado em Ciências da Reabilitação e doutorando em Biociências Aplicadas à Saúde pela Universidade Federal de Alfenas.

Impactos da pandemia com Wesley Rosa

 

O atleta Wesley Rosa, patrocinado pelo Restaurante A Mineirinha e Drogaria Rede Inova, explica que o tênis de mesa, sendo um esporte individual, com distância entre as mesas, teve o retorno de suas competições mais rápido que vários outros esportes, principalmente os coletivos.

            “Entretanto, é nítido como ficou difícil para todos os mesatenistas lidarem com essa situação. Queremos muito que isso passe o mais rápido possível, já estamos fazendo todas as providências de higienização e já estamos todos adaptados, tanto os jogadores iniciantes quanto os avançados.”

            Com a mudança pela pandemia, os treinos foram feitos para aumentar o volume. Antes, nesse momento estariam fazendo mais manutenção pós-competição e tático.

            “Como abri minha própria academia, com minha metodologia, não sofri muito com nesse período, mas com certeza o fluxo poderia ser maior sem a pandemia”, conta o professor.

            Enfatiza um efeito causado pela mudança global, descrevendo como um impacto gigante e positivo, que é o fato de muita gente ter se conscientizado recentemente sobre a importância da atividade física.


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Cristóvão solicita reforma do campo e da quadra poliesportiva do Centenário

 

Nesta quarta-feira, 17, durante reunião da Câmara Municipal de Varginha, o vereador Cristóvão apresentou Indicação solicitando à Prefeitura reforma geral na quadra poliesportiva localizada no bairro Centenário, próximo ao conselho comunitário, bem como a capina do campo de futebol.

            “As medidas são necessárias, pois a quadra poliesportiva e o campo de futebol encontram-se aparentemente inacabados e em situação de abandono, com sérios problemas estruturais” justificou Cristóvão.

            Entre as necessidades estão incluídos os serviços de pintura, limpeza, capina, iluminação, reparo nos alambrados, reforma e colocação de vidros nos vestiários, assim como a manutenção do campo de futebol com replantio da grama.

            “Com o objetivo de oferecer melhores condições de uso e de segurança aos munícipes que utilizam esses equipamentos públicos para a prática de atividades físicas e recreativas, solicito especial atenção por parte da Administração Municipal”, finalizou.

 

Impactos da pandemia - com Matheus Mozart

 

Matheus Augusto Oliveira, também conhecido como Mozart, um dos grandes destaques do futebol no Sul de Minas, contou um pouco sobre sua experiência durante a pandemia.

“Acredito muito que nós brasileiros nunca imaginaríamos estar passando por um momento deste, digo isso por mim mesmo até. Talvez, inconscientemente esse seja nosso maior desafio, pois nossa cultura sempre nos propôs muita liberdade, incluindo de poder ir e vir sem restrições. Do dia para a noite, saímos deste contexto e nos vimos em algo totalmente avesso.

            Alguns vão entender o momento de se privar, seguir as normas e tudo mais. Outros não, devido ao contexto que já vivem o desafio é maior, sair de costumes e tradições. Sinto pelo fato de impactar vários setores do nosso país e do mundo. O próprio segmento esportivo em geral, e as pessoas que dependem financeiramente, está sendo impactado direto e indiretamente. Com isso outros segmentos também, pois trata-se de uma engrenagem, se uma rodar com uma menor velocidade, todo o restante será sobrecarregado.

            Em uma visão geral sobre a situação, vejo como um momento de oportunidade, solidariedade e superação. As pessoas estão se reinventado, buscando e em alguns casos conseguindo, descobrindo formas de superar o momento. Outras, ajudando aos que mais necessitam. Alguns superam toda e qualquer barreira que vem pela frente, algumas vezes aos trancos e barranco, com dor, mas superam e acabam servindo de inspiração.

            Neste momento, tenho buscado fazer minha parte, talvez eu até não seja a melhor pessoa para dizer o que fazer ou não fazer. Sinto muita falta de poder ter minhas práticas esportivas normais, sendo mais específico ao futebol, pois é o que amo. Porém, sei que várias outras práticas também estão impossibilitadas de serem realizadas, acredito que realmente o que nos cabe é cumprir as normas, pensarmos no próximo e acreditar que em breve poderemos ter tudo ao normal.”

 

Vereador Apoliano solicita a construção de uma nova pista de bicicross no Campos Elíseos

 

O Vereador Apoliano do Projeto Dom encaminhou ao Prefeito Municipal e ao Secretário Municipal de Obras e Serviços Urbanos uma indicação pedindo para que seja construída uma nova pista de bicicross, no modelo pump track, abaixo da pista “Dereck Silva” Reis no bairro Campos Elíseos.

O objetivo dessa nova pista, segundo ele, é para que os iniciantes comecem de uma forma mais segura no esporte. “Como o percurso desse modelo de pista tem várias lombadas a aceleração da bicicleta por pedais não seria totalmente necessária, além de ser uma pista que serve para outras modalidades como patins, skate e patinetes, além do espaço servir para o desenvolvimento de resistência, coordenação motora e interação social”, destacou o vereador.

Apoliano enfatizou ainda que para essa nova pista será necessário um planejamento com paisagismo, limpeza, asfalto, grama, iluminação, entre outros.

Fonte: Asscom CMV

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Impactos da Pandemia - Murtieri Salles (Murti)

 

O treinador de voleibol na Prefeitura Municipal de Cambuquira, Murtieri Salles, contou um pouco como está sendo sua experiência angustiante durante o período de pandemia. Fala entre períodos de ansiedade, bem como perda financeira proporcional à diminuição do número de turmas de treinamento. As equipes ficaram paradas por seis meses e treinaram três.

            Praticamente um ano de pandemia e um ano convivendo com síndrome do pânico.”

            Afirma que sua perspectiva para retorno das competições regionais indica um futuro ainda difícil e trabalhoso com a base. “Não temos a mesma estrutura do ‘profissional’, enquanto durar a pandemia acredito que a maioria dos pais não deixarão seus filhos participarem de competições por enquanto.”

            Agradeço à Deus, Nossa Senhora e minha família me sustentaram até aqui! Aos amigos que se mantiveram firmes, colegas que viraram amigos e ao novos amigos minha gratidão eterna.”