quarta-feira, 5 de abril de 2017

Janaína Petit: a varginhense Medalhista Paralímpica na Rio 2016

Uma das paratletas de maior destaque do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), a varginhense Janaína Petit Cunha, capitã da Seleção Brasileira de Vôlei Sentado, está em Varginha visitando a família e amigos.
            Nesta segunda-feira, dia 03, Janaína visitou o treino de vôlei feminino do Projeto Atletas do Futuro, na quadra do Colégio Logos.
            Janaína levou suas duas medalhas mais importantes da carreira: Prata no Parapan-Americano 2015, em Toronto (Canadá), e a de Bronze da Paralímpica na Rio 2016.
Em uma conversa informal, encantou as jovens atletas do projeto coordenado pelo técnico André Pereira, com seu carisma e simplicidade. Falou de sua época na equipe varginhense, a carreira promissora no vôlei convencional, do acidente e desta fase gloriosa no vôlei sentado.

Janaína é atleta do SESI-SP desde 2009, instituição que realiza um trabalho destacado no esporte olímpico e paralímpico: “Olha, o único apoio que realmente tenho é do SESI-SP”.

Enalteceu o empenho de Paulo Skaff, por investir nesse projeto; Alexandre Pflug e Walter Vicione, que também sempre acreditaram no projeto SESI Pedagogia do Exemplo e falou do técnico Ronaldo Oliveira, que não deixa o vôlei sentado feminino morrer no Brasil.
Com o clube, Janaína é hexacampeã Brasileira da modalidade. Com a Seleção Brasileira, foi o 5º lugar nas Paralimpíadas de Londres, dois vice-campeonatos ParaPan-Americanos, 2011 e 2015. Certamente, o 3º lugar na Rio 2016, contando com a presença de amigos e familiares na torcida foi uma conquista única, que coroou a trajetória de superação dessa “guerreira do esporte”.
 
Publicidade
ESPORTE NA INFÂNCIA
“Comecei no esporte muito nova, por influência dos meus pais”, disse. Sua mãe, Cleide Petit Cunha foi jogadora de vôlei por Varginha e o pai, Antônio Carlos da Cunha (Tonhão), ex-jogador profissional de basquete. “Sempre foi o que mais quis que eu fosse atleta, se estivesse vivo teria o maior orgulho.”
“Na escola e no VTC jogava tudo e o primeiro esporte que fiz mais seriamente foi a natação, mas logo depois fui para o vôlei e não saí mais,” disse às meninas do projeto varginhense. Janaína relembrou, com muito carinho, seu tempo sob o comando do técnico André.
PROMESSA OLÍMPICA
            Na adolescência, integrou equipes de base de grandes clubes e seleção brasileira. Conquistou o título Sul-Americano e quarto lugar no Mundial Juvenil.
A promissora carreira foi interrompida aos 18 anos, por um acidente que comprometeu os movimentos de sua perna.
            Janaína continuou jogando vôlei em clubes de São Paulo por alguns anos, mas após várias rupturas de ligamentos, decidiu parar e voltar para Varginha.

VÔLEI SENTADO
“O primeiro convite veio em 2007 para jogar na seleção paraolímpica, mas não fui. Mas em 2009, o Ronaldo Oliveira - do Sesi-SP - me chamou para disputar o Campeonato Brasileiro, quando enfim aceitou o desafio. Destacou-se e foi a segunda maior pontuadora da modalidade nas Paralimpíadas 2012 e 2016.
Confira fotos do encontro:

Publicidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário